Guia de Hentais - Setembro 2018

Entrevista com a ex atriz-pornô japonesa Emiri Okazaki

Entrevista com a ex atriz-pornô japonesa Emiri Okazaki


Emiri Okazaki é uma ex-atriz pornô japonesa que trabalhou na indústria de 2011 a 2016. Na entrevista ela explica o que a motivou e dá alguns detalhes sobre sua vida durante esse período.

Kei: Por favor, nos diga seu nome e nos fale um pouco sobre você

Emiri Okazaki: Eu sou Emiri Okazaki e sou uma ex-atriz pornô

Kei: Quanto tempo você trabalhou na indústria pornô?

Emiri: Eu estreei em 2011 e trabalhei por 5 anos, até 2016.

Kei: Por qual motivo você entrou no pornô?

Emiri: No meu caso, eu era modelo e saí na TV, e eu queria conquistar algo na indústria, mas quando eu fiz 21 anos, eu comecei a pensar sobre qual direção seguir. Eu estava “Oh, eu tenho 21 agora…” e era modelo desde os 16. Eu sentia como se eu estivesse indo pra lugar nenhum. Minha agência estava passando por tempos realmente difíceis e me davam sempre pequenos papeis em dramas, mas eu sabia que aquilo não me levaria a lugar algum, então eu sentia como se estivesse falhando. Eu sentia que quanto mais velha eu ficava, mais minha carreira ia morro abaixo. Então quando eu tinha 21, eu me sentia frustrada por não ter alcançado nada.

Kei: Então… A primeira vez que você fez pornô, o que estava passando pela sua cabeça naquela hora?

Emiri: Na noite antes da minha primeira filmagem, eu não consegui dormir, então eu fui pro set sem dormir.

Kei: O que aconteceu depois da filmagem? Como você se sentia?

Emiri: É difícil explicar, mas era como se várias emoções me atingissem ao mesmo tempo, e eu comecei a chorar.

Kei: Você chorou?

Emiri: Sim, eu chorei. Tem um monte de garotas que choram enquanto estão filmando. No meu caso, eu imaginei que aquela não era realmente eu, mas uma atriz fazendo seu papel em um filme, então eu não chorei enquanto estava filmando, mas depois que tudo acabou e eu voltei pra casa, eu subitamente comecei a chorar. Havia uma mistura de sentimentos. Eu não tinha certeza do porquê eu estava chorando. Eu sentia alguma culpa, mas também sabia que eu não estava fazendo nada errado, mas eu me sentia mal pelos meus pais, e pensava que tinha sido apenas a minha decisão e que era aquilo que eu queria fazer, então eu não deveria sair. Mas eu ainda sentia como se estivesse me desculpando.

Kei: Como as pessoas ao seu redor reagiram? Elas ficaram surpresas?

Emiri: Eu estava com meu namorado fazia 5 anos naquela época, e eu percebi que eu deveria contar pra ele sobre o meu trabalho antes que ele descobrisse, então eu disse, mas por alguma razão ele surtou. Sem brincadeira, ele ameaçou primeiro me matar e depois se matar. Ele chegou a apontar uma faca pra mim; eventualmente ele percebeu que não devia fazer isso e chorou. Eu também disse aos meus pais que era uma atriz pornô, porque meus pais são divorciados e eu não morava com meu pai. Ele não sentiu realmente que tinha algo a dizer, e tudo que disse foi “É a sua vida, e é sua decisão, eu estou bem com isso”. Minha mãe, por outro lado, me desprezou. Ela disse “Eu apenas não posso entender. Você não é minha filha”, então ela me tirou dos registros da família dela e eu fiquei só nos do meu pai. Durante 6 meses ela bloqueou minhas ligações e não me deixou entrar na casa dela. Essas questões de família realmente me mostraram que eu estava mais estressada e preocupada com minha mãe do que com meu trabalho. Um dia, minha mãe ligou e disse “Eu nunca irei entender ou apoiar sua carreira, mas você é minha filha e isso nunca vai mudar, então a partir de agora eu apenas vou tratar você como minha filha e eu não quero ouvir sobre o seu trabalho”, e então nós começamos a conversar e sair novamente. Logo depois eu passei de porn star para um grupo de sexy idol e às vezes aparecia na TV, então ela sempre me via na TV e me ligava pra me apoiar, mas demorou muito tempo para retomar a relação com minha mãe.

Kei: Quando você sentiu que estava no seu pior momento?

Emiri: Nós fazemos muitas vendas no começo, mas não é como se você tivesse vídeo saindo o tempo todo, e sempre tinha novas garotas entrando na indústria, então o número de vendas caía. Você perceberia isso mesmo que não visse o relatório de vendas porquê do nada as pessoas não queriam trabalhar com você. Sua renda diminui enquanto o tipo de pornô fica mais extremo, e seus resultados não parecem melhorar.

Kei: Você acha que foi bem-sucedida fazendo isso por apenas 5 anos?

Emiri: Eu acho que sim. Teve esse momento, o momento que eu senti que devia parar de fazer pornô. As pessoas da minha cidade natal e meus amigos mais antigos me pediam para ir em seus eventos como convidada especial, e eu comecei a receber várias ofertas para ir em eventos e eram as mesmas pessoas que falavam mal de mim, mas do nada eles me queriam. Foi quando eu senti que tive sucesso como atriz pornô. As pessoas apontavam pra mim e diziam “Aquela garota é louca por fazer filme pornô”, mas aquelas mesmas pessoas do nada diziam “Por favor, venha ao meu evento, eu vou te pagar bem”. As atitudes delas eram diferentes quando eu comecei. Você sabe, na vida, que você precisa de uma razão pra fazer. A razão pela qual eu fiz o que fiz, pra mim, essa razão foi querer conquistar algo, como atingir um certo nível na indústria. Quando eles reagiram daquela forma comigo, fez eu me sentir realizada

Kei: Você acha que se tornar uma atriz pornô foi uma experiência positiva ou negativa?

Emiri: Definitivamente positiva.

Kei: Entendo

Emiri: Eu não me arrependo

Kei: Por que você diz isso?

Emiri: Por que? Porque eu não seria a pessoa que sou hoje.

Kei: E o que você faz agora?

Emiri: Agora eu tenho minha própria empresa. Eu tenho uma empresa de cosméticos onde eu dirijo a produção e vendas, e também trabalho como hostess em um bar em Roppongi.

Kei: O que você diria para as pessoas que gostariam de se tornar atrizes pornôs?

Emiri: Isso vai parecer óbvio, mas quanto mais jovem você for, menos vai pensar nas consequências, então eu acho que é melhor pensar sobre isso, quer dizer, eu não estou julgando já que eu já fui e não me arrependo da minha decisão, mas eu vi que muitas garotas se arrependem de fazer isso. Uma jovem amiga minha que fez pornô começou a trabalhar num banco, mas depois de 2 ou 3 meses eles descobriram e ela foi forçada a sair. Ou, e se você se apaixonar por alguém? Você não irá se arrepender se seus pais não te aceitarem? Como para as crianças, eu não tenho algo certo agora, mas depois, eu estava pensando sobre isso, eu penso muito sobre isso. Crianças conseguem encontrar coisas na internet ainda muito novas, elas poderiam dar de cara com seu filme enquanto mexem no seu celular. Nesse caso, eu sempre quis saber como deveria explicar isso. Eu acho que é desnecessário dizer a eles algo tão avançado, mas se eles encontrarem, eu vou ter que dizer a eles.

Kei: Como você diria a eles?

Emiri: Eu diria a mesma coisa que eu disse durante essa entrevista. Explicaria porque eu decidi fazer porn e o que eu pensava. E eu continuaria explicando até eles finalmente entenderem. É algo que provavelmente levaria algum tempo.

Kei: E se sua filha resolvesse virar atriz pornô?

Emiri: Primeiro eu tentaria parar ela, mas no caso dela não me ouvir e fazer isso pelas minhas costas, então eu ia encontrar pra ela uma boa agência. Eu falo pela minha experiência. Mas se você diz “Não”, ela não vai ouvir porque é o que quer fazer. É difícil dizer não uma vez que eu já fiz, mas com certeza eu diria a ela que não é um trabalho fácil e se eu acho que ela tem o que é preciso pra fazer isso.

Abaixo o vídeo original.


Share on Google Plus

0 Comentários:

Postar um comentário