Funcionários de Serviço de Saúde em Domicilio não serão Acusados de Prostituição

Funcionários de Serviço de Saúde em Domicilio não serão Acusados de Prostituição










Promotores em Tóquio anunciaram que não irão acusar 19 pessoas ligadas a uma cadeia de negócios que trabalha com ''saúde em domicilio'' por suposta prostituição.

No mês de Janeiro a polícia acusou Tomohisa Kutsuki, de 30 anos, presidente do serviço de acompanhantes ''Final Stage'' e 18 outros funcionários de violar a lei Anti-Prostituição.

Segundo a polícia, os funcionários enviavam as massagistas para prestar serviços sexuais, violando a lei, um desses serviços teria sido em um homem em um quarto de hotel que fica em Shinagawa, em Abril do ano passado.

Os promotores não divulgaram por qual razão não vão adiante com o processo.

Todos os 19 suspeitos negaram as acusações. Desde o verão de 2015, o Final Stage já acumulou 7,2 bilhões de ienes em vendas de serviços.

Fonte

0 Comentários:

Postar um comentário